Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus. blog comments powered by Disqus

Estudo de caso de paciente com fixador externo na fisioterapia aquática



12
Paciente G.M.S , 12 anos com diagnóstico de Deficiência Congênita de Fêmur a ESQ submetido a cirurgia em 13/09/10 – Alongamento de Fêmur E sobre haste e Osteotomia do Fêmur Dir.


OBJETIVO: Analisar parâmetros de marcha e amplitude de movimento em um paciente com fixador externo após 1 sessão de intervenção de fisioterapia aquática.

MATERIAIS E MÉTODO: Goniometria (avaliação da amplitude de movimento do joelho E do paciente em prono para avaliação da flexão passiva e sentado com os MMII fora do tablado para flexão ativa), Timed up and go (teste realizado com o paciente partindo da postura sentada em cadeira com apoio de braço, levantando, deambulando por 3 metros a frente e retornando para postura sentada na cadeira) e Teste de Marcha 6m (realizando com o paciente deambulando por 6 metros em superfície de papel absorvente previamente molhado e papel comum por cima para registrar passos do paciente) .

Sessão de 35 minutos de fisioterapia aquática

CONDUTA: Durante a sessão de Ft. aquática foram realizados exercícios com objetivo de:
- Diminuição do quadro álgico (usando a turbulência da água para massagear)
-Aumento da amplitude de movimento e fortalecimento muscular (uso de flutuadores – de diversos tipos - para facilitar a flexão do joelho bem como para criar resistência para extensão de joelhos. Uso de caneleira de peso, durante o movimento de pedalar visando fortalecimento de MMII e incremento a flexão do joelho.)
- Transferência de peso para o lado esquerdo – trabalho de equilíbrio e propriocepção (com paciente sentado em superfície instável e rotação de tronco para ambos os lados – iniciando a descarga de peso adequada em quadril podendo evoluir a dificuldade realizando o exercícios em pé.
-Treino de marcha – (uso de flutuadores, para facilitar e estimular a flexão dos joelhos e dificultar a extensão dos mesmos bem como para criar instabilidade, obrigando assim o paciente a utilizar estratégias de equilíbrio.)

RESULTADOS:

PARÂMETROS DA MARCHA:
3

SIMETRIA:


5
ANTES
4
DEPOIS

GONIOMETRIA:
6

CONCLUSÃO: A fisioterapia aquática funcional se mostrou eficaz no tratamento de um paciente com fixador externo, onde ocorreu uma transferência positiva dos resultados obtidos em meio líquido para o solo, comprovados através dos testes de time up and go, analise de marcha em 6 m e goniometria.

FISIOTERAPEUTAS RESPONSÁVEIS:
Mônica Bigatello Couto e Ricardo Cristia Hengles
Setor de Fisioterapia Aquática – AACD

blog comments powered by Disqus