Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus. blog comments powered by Disqus

Fisioterapia Aquática Funcional na Esclerose Múltipla



Oi, sou portador de Esclerose Múltipla diagnosticada desde 09/2010, já faço parte da ABEM/SP e gostaria de fazer fisioterapia de uma forma mais a apropriada sabendo que desde que fui diagnosticado venho fazendo natação em academia mas não sei como me sentir melhor só nadando.

Flávio L. C.
São Paulo

 
Resposta: Olá Flávio Lima Costa,

Fico muito feliz pelo interesse no nosso site e em especial pela fisioterapia aquática, conheço a ABEM e acredito no trabalho desta instituição.

A esclerose múltipla pode se apresentar de diversas formas (Remitente Recorrente, Primariamente Progressiva e Secundariamente Progressiva) dentre estas formas pode ocorrer uma gama de sintomas (déficit de equilíbrio, coordenação, sensibilidade, força muscular), entre outras, e estes sintomas se manifestam de diferentes formas nos pacientes com EM. Popularmente dizendo não existe uma receita de bolo, cada paciente é único.

Pensando assim o atendimento do paciente deve ser individualizado e o seu fisioterapeuta deve saber de início a sua principal queixa, quase sempre esta queixa está relacionada a uma função (ex: andar, subir escada, lavar a roupa, escrever, entre outras) desta forma ele irá trabalhar em curto prazo focando nesta queixa e depois de um período, caso esta queixa esteja sanada podemos mudar o nosso objetivo, digo nosso porque realmente quem traça o objetivo é o paciente e terapeuta. 

A natação para o paciente com EM, é indicada sim. Ela pode beneficiar muito os pacientes principalmente quando se pensa no condicionamento físico, pois muitos dos pacientes relatam fadigabilidade (cansaço) importante durante a realização das atividades. Mas acredito que você está buscando algo mais específico focado para sua queixa, pensando assim acredito que a fisioterapia aquática funcional pode oferecer bons frutos e assim como disse anteriormente, deve se trabalhar diretamente neste ponto.

Devemos pensar em algumas precauções e a principal é a intensidade do exercício. Uma dica importante é intercalar grupos musculares durante a realização do exercício, desta forma o terapeuta consegue ativar grupos musculares específicos durante a realização da atividade e evitar a fadiga, falando em fadiga outro fator que devemos ficar atento é com a temperatura da água, pois sabemos que diversos estudos relatam que em temperaturas elevadas o grau de fadigabilidade é maior, pois fisiologicamente dizendo este fator diminui a propagação do impulso nervoso tornando o tempo de resposta muscular frente a um comando mais lentificado, sabemos que piscinas destinadas a terapias possui temperaturas mais elevadas, então uma dica importante quando não se tem a possibilidade de mudar a temperatura da água é diminuir o tempo de terapia e tentar realiza-la no inicio da manhã onde a reserva de energia muscular é maior, podemos também realizar período de repouso antes da atividade, ou seja, ficar sentado assistindo televisão ou lendo um livro.

Acredito ter respondido algumas das suas dúvidas, estou à disposição para mais esclarecimentos, espero que se beneficie bastante da fisioterapia aquática, pois é um mundo cheio de descobertas.

Obrigado,  

Douglas Braga

blog comments powered by Disqus