Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus. blog comments powered by Disqus

Atuação da Fisioterapia Aquática Funcional na artrogripose multipla congênita



Primeiramente gostaria muito de elogiar o site. A iniciação desse projeto nos motiva cada vez mais a estudar e a pesquisar sobre a hidroterapia. Gostaria de estar sabendo um pouco mais sobre uma paciente com amioplasia de 2 anos, não deambuladora que esta começando a se arrastar de bumbum. O que eu devo trabalhar? E como a hidroterapia poderia ajudar nesse deslocamento?

Muito obrigada.

Rafaela N da S.
Fisioterapeuta - Mogi das Cruzes


Resposta: Olá Rafaela, primeiramente obrigado pelo elogio ao nosso site e por ter nos mandado uma pergunta.

Quando tratamos um paciente com artrogripose múltipla congênita devemos lembrar que as contraturas e deformidades apresentadas geram um desequilíbrio de forças musculares que atuam sobre as articulações, gerando compensações para a realização da função.

A fisioterapia aquática funcional através da determinação do objetivo funcional, que é a função e dos objetivos específicos, que são os componentes da função, consegue direcionar o tratamento visando atingir a função com a máxima qualidade, considerando os limites do indivíduo e o seu ambiente.

Os indicadores de evolução qualitativos e quantitativos, utilizados na fisioterapia aquática funcional, podem nos ajudar na determinação de definição de metas de tratamento mais precisas e eficazes.

Nesse caso, como indicador de evolução, ou seja, parâmetro de comparação antes e depois de um período de tratamento, podemos utilizar um teste de deslocamento sentado, onde medimos o tempo que a paciente leva para percorrer uma distância de 3 metros, como podemos observar na figura abaixo:

clip_image003[2]

O objetivo funcional determinado para a paciente seria o de estimular o deslocamento na postura sentada em uma superfície plana.

Alguns dos objetivos específicos desta função seriam: estabilidade de tronco e transferências de peso na postura sentada. A estabilidade de tronco deve ser trabalhada pensando numa estabilização dinâmica, estimulando o aumento dos limites de estabilidade laterais, com deslocamentos da linha de gravidade no limite da base de suporte na postura sentada;  estimulando as reações de  equilíbrio, endireitamento e proteção e também  estimulando as forças internas que atuam nesta estabilidade.

Uma forma de facilitar o treino dessa função é através da utilização de rampas. Primeiramente estimulamos o paciente no declive, com o menor grau de dificuldade descendo a rampa, depois partimos para o plano (onde devemos associar o nível de imersão – quanto menor for o nível da água, mais próximos estamos de transpor os ganhos para o solo) e por fim, o uso em aclive, com maior grau de dificuldade em subir a rampa.

No momento da determinação dos objetivos leva-se em conta todos os aspectos do diagrama da CIF: funções e estruturas do corpo, atividade, participação, fatores ambientais e fatores pessoais; e não somente a condição de saúde (transtorno ou doença). Temos que reconhecer os potenciais do indivíduo, suas qualidades pessoais, para avaliar a sua participação, pensar no ambiente onde a função será realizada, se existe uma barreira arquitetônica que possa interferir. A família é considerada fator ambiental neste contexto e pode ser uma barreira no processo de aquisição da função quando é superproterora ou não segue orientações; ou pode ser um facilitador quando auxilia a equipe.
 
Espero ter respondido sua pergunta, e me coloco a disposição para eventuais novas dúvidas.

Até mais,
Ricardo Hengles 



Pela primeira vez estou lendo sobre essa doença e gostaria de uma resposta. Tenho um filho assim com essa doença. Cirurgia adianta? Adorei o trabalho de vocês

Obrigado!
Luzimar V. S. 


Resposta: Olá Luzimar, tudo bem com você? Obrigado por sua pergunta e elogio ao nosso site.

Para responder sua pergunta devemos saber que a artrogripose inclui uma ampla gama de patologias, caracterizadas pela presença de múltiplas contraturas articulares, já presentes ao nascimento.

O tratamento deve ter início precoce e ser realizado por uma equipe interdisciplinar. Tem como objetivo ajudar a criança a se tornar o mais independente possível, desenvolvendo um meio eficiente e prático de mobilidade. A família deve ser estimulada a participar de forma ativa, auxiliando nos exercícios.

As terapias (fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, psicologia) sao fundamentais para a melhora da amplitude articular, ganho de forca e equilíbrio, trocas posturais e atividades de vida diária. Quanto mais cedo são iniciadas, melhores são os resultados.

O objetivo do tratamento ortopédico é a correção das deformidades para melhorar a função. Além disso, o tratamento ortopédico também permite a melhora do posicionamento e higiente, facilitando cuidados e prevenindo maiores deformidades e dores na vida adulta. Antes de iniciar o tratamento ortopédico, a criança deve ser avaliada pela equipe, levando em consideração as limitações do paciente e os objetivos funcionais do tratamento. 

Espero ter respondido sua pergunta, e me coloco a disposição para novas duvidas.

Um Feliz 2012.
Ricardo Hengles.

blog comments powered by Disqus