Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus. blog comments powered by Disqus

Sistema de Classificação da Função Motora Grossa (GMFCS) e sua aplicabilidade na Paralisia Cerebral (PC) [atualizado]



Olá estou muito confiante nesse site, pois percebo que o mesmo foi criado para divulgar conhecimento e não para vender produtos como na grande maioria.

Trabalho com Paralisia Cerebral e muitas vezes encontro dificuldades em traçar o meu objetivo com o paciente. Gostaria de saber um pouco mais sobre o GMFCS e através dele é possível direcionar o meu tratamento?

Natália M. R.
Fisioterapeuta - Maringá - PR


Resposta 1: Olá Natália,           
O GMFCS é um sistema de classificação para avaliar a função motora grossa em crianças com Paralisia Cerebral. Dessa forma, auxilia no estabelecimento do prognóstico motor. Esse sistema de classificação avalia atividades motoras diversas que incluem o sentar, os deslocamentos e a atividade específica da marcha, além do correr e pular. 

O GMFCS é composto por 5 níveis e divisões nas seguintes faixas etárias: 0-2 anos, 2-4 anos, 4-6 anos, 6-12 anos e 12-18 anos. No nível I a criança apresenta o maior nível de independência e, no nível V o maior comprometimento motor. Em cada uma dessas faixas etárias, existem particularidades do que se espera do desempenho motor em cada um dos níveis.

As distinções entre os níveis são baseados nas limitações funcionais, na necessidade do uso de aditamento para a marcha ou no uso de cadeira de rodas.

Segue abaixo uma descrição genérica, entretanto vale ressaltar que o ideal é classificar dentro da respectiva faixa etária.
 
Nível I - Deambula sem restrições, com limitações para atividade motoras mais complexas (correr, pular)
Nível II - Deambula sem auxílio, mas com limitações na marcha comunitária
Nível III - Deambula com apoio, com limitações na marcha comunitária
Nível IV - A mobilidade é limitada, necessita de cadeira de rodas na comunidade
Nível V - Mobilidade gravemente limitadas mesmo com uso de tecnologia assistiva

Recomendo algumas referências para o aprofundamento no assunto:

- Artigo cientifico publicado na revista Dev Med Child Neuro: Palisano et al. CanChild Centre for Childhood Disability Research. Dev Med Child Neurol 1997;39:214-223

- Livro desenvolvido pela Associação de Assistência a Criança Deficiente – AACD: Moura EW, Lima E, Borges D, Silva P Fisioterapia: aspectos clínicos e práticos da reabilitação. Ed Artes Médicas, 2010

Espero poder ter ajudado. Estou à disposição para mais esclarecimentos.

Lais Cardoso de Oliveira


Resposta 2: Olá Natália, muito obrigada por compartilhar suas dúvidas conosco.

O GMFCS (Sistema de Classificação da Função Motora Grossa) é uma escala ordinal de cinco níveis utilizada na classificação do comprometimento motor das crianças com Paralisia Cerebral (PC). O foco está em determinar qual nível melhor representa as habilidades atuais do paciente e as limitações na função motora. Com isso, o GMFCS é utilizado como um guia para direcionar nossos objetivos funcionais, lembrando-se sempre que devemos levar em conta o exame físico e as capacidades cognitivas de cada paciente.

Por exemplo, uma criança com diagnóstico de PC tipo diparesia espástica, 6 anos de idade e classificada como nível III pelo GMFCS, espera-se que ela seja capaz de andar com auxiliar de locomoção em superfícies planas. Porém, se ela apresentar ao exame físico algum encurtamento muscular (por exemplo: adução do quadril que impeça a liberação dos MMII para a fase de balanço), provavelmente precisará de uma intervenção médica (bloqueio neurolítico ou cirurgia) para melhorar o alinhamento dos MMII e aquisição dessa habilidade.

Coloco-me disposição para maiores esclarecimentos.

Atenciosamente,
BIANCA
blog comments powered by Disqus