Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus. blog comments powered by Disqus

Consultoria: Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) e Fisioterapia Aquática Funcional



Posso colocar na piscina um paciente com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) que esteja utilizando Ventilação Mecânica Não Invasiva (VNM) e quais são os cuidados a serem tomados?

Rafael G. P. B.
Fisioterapeuta - Sorocaba - SP

Resposta: Olá Rafael,

Em primeiro momento, quando falamos em doenças neuromusculares, em específico a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), por se tratar de uma doença progressiva, devemos adotar alguns cuidados antes de realizar o tratamento na fisioterapia aquática. Este paciente deve estar estável clinicamente e se possível ter realizado uma prova de função pulmonar. Devemos realizar, além desses dados coletados em solo, avaliações no meio líquido coletando parâmetros mais específicos como a saturação de oxigênio através da oximetria de pulso, a freqüência cardíaca, a capacidade vital forçada e volume corrente através do ventilômetro, além de pressões inspiratória e expiratória através do manuvacuômetro,

No atendimento do paciente com suporte ventilatório, o primordial é a segurança do paciente e terapeuta e para isso é necessário tomar algumas medidas. Devemos isolar a área onde será colocado o ventilador, de preferência local arejado próximo a uma janela, pois a umidade do ambiente pode levar a danos no aparelho, e fixar o mesmo em um local, se possível distante da borda da piscina.

Durante o atendimento é interessante adaptar um prolongamento na traquéia do ventilador para proporcionar mais liberdade de movimento durante a realização dos exercícios, facilitando o deslocamento na piscina; fixar a traquéia com um flutuador de EVA ou flutuador de Watsu no paciente - o colar cervical pode ser utilizado como mais uma medida de segurança. As aferições (saturação de oxigênio) e feedback do paciente devem ocorrer a todo momento. Como se trata de um paciente com ELA, é importante estabelecer uma forma de comunicação, pois muitas vezes estes pacientes não apresentam mais comunicação verbal.

Estou à disposição para mais esclarecimentos.

Douglas Braga

blog comments powered by Disqus